GamesNoticias

Apple revela o Vision Pro, um ousado headset de realidade mista

Apple confirmou nesta segunda-feira (5) o lançamento do que ela considera ser o eletrônico de uso pessoal mais avançado de todos os tempos, um dos dispositivos mais ousados da própria companhia e o seu primeiro “computador espacial”.

Trata-se do Vision Pro, um headset de realidade mista (MR) que mistura elementos de realidade aumentada com realidade virtual, mesclando conteúdos reais com digitais para adicionar elementos de navegação, interface e interação no seu cotidiano a partir de um visor.

A ideia da empresa é que você utilize aplicativos em qualquer lugar e em tamanhos diferentes, já que o campo de visão não está restrito a um monitor, mas sim ao ambiente inteiro. Até mesmo a interface de vários aplicativos foi redesenhada para que você otimize o uso de ferramentas sem perder elementos visuais de navegação, incluindo até sombra e efeitos de profundidade.

Intuitivo e multifuncional

O controle é feito por mãos, olhos e comandos de voz. Segundo a empresa, elementos gráficos da interface respondem ao movimento da sua visão. E, com movimentos suaves da mão, é possível rolar uma barra de navegação e selecionar itens na tela.

Ao olhar uma tela de busca, você pode escrever nela usando comandos de voz — eliminando de vez o uso de teclados virtuais e confiando na Siri para isso. Comandos como zoom, deslizar e selecionar também são facilitados com rápidos movimentos das mãos, sem que você precise segurar um controle-remoto ou algo parecido.

A partir de uma tecnologia chamada Eyesight, o Vision Pro reduz a visibilidade de aplicativos e exibe os seus olhos quando alguém está próximo, para que você tenha um contato visual com pessoas perto de você. No caso contrário, quando o usuário está sozinho e totalmente imerso no conteúdo, o visor externo fica totalmente opaco.

Tudo ao seu alcance

Com o Vision Pro, o usuário pode organizar a sua interface a partir dos aplicativos mais usados, como o navegador Safari, as mensagens e leituras de artigos. Todos os dados são sincronizados com base no seu iCloud e múltiplos aplicativos podem ser organizados de várias formas diferentes, de acordo com o gosto do usuário.

Aplicativos como o FaceTime pode ser usados a partir de uma imersão ampliada, com áudio espacial e videoconferências com pessoas em ambientes que ocupam mais espaço do que somente um pequeno quadrado da tela. É possível ainda fazer chamadas conjuntas com essas mesmas tecnologias, para que várias pessoas assistam ao mesmo tempo a um mesmo filme, por exemplo, cada um em seu Vision Pro.

Várias plataformas de streaming serão suportadas desde o lançamento, inclusive com conteúdos em três dimensões — a Disney exibiu na conferência um teaser de como será a navegação e o streaming na Disney+, citando apenas um exemplo. Games podem ser transmitidos pela nuvem e jogados, inclusive com controles de diversas fabricantes pareados.

A câmera do Vision Pro permite ainda que você capture o chamado vídeo espacial, que filma uma experiência em movimento com maior imersão e profundidade 3D. A Apple mostrou esse recurso em especial para o registro de momentos em família ou para você recordar o crescimento dos filhos por exemplo.

Design único

Segundo a Apple, o Vision Pro requer melhorias revolucionárias em termos técnicos e de design, virando “o produto mais ambicioso já criado” pela fabricante. A parte frontal é uma só unidade de vidro, com câmeras e sensores embutidos.

A borda tem uma coroa e um botão que ajudam na navegação e, atrás, uma estrutura de alumínio protege os principais componentes.

As partes de encaixe na cabeça são personalizados, com materiais leves e confortáveis que são modulares, variando de acordo com formatos e tamanhos de cabeça e rosto para encaixar-se perfeitamente.

Já as tiras são flexíveis e permitem que o alto-falante fique sempre próximo da orelha, garantindo o som imersivo sempre que possível.

As pequenas telas voltadas para os olhos do usuário permitem a reprodução de conteúdos em resolução 4K e com padrão HDR. Na parte voltada para fora, sensores de profundidade e de tecnologia LiDAR garantem a leitura do ambiente ao seu redor.

Por dentro dos óculos

O chip Apple M2 é o responsável por rodar os conteúdos do headset de forma potente e silenciosa. Ele funciona em conjunto com um novo processador, o Apple R1, que processa dados de câmeras, sensores e microfones para gerar os conteúdos de realidade mista.

O sistema operacional também é novo: o visionOS, que combina elementos de outras plataformas, como iOS e mac, em uma experiência dinâmica e voltada para visualizar conteúdos na maior qualidade gráfica possível. Como o framework de aplicativos é compartilhado com outras plataformas e a engine Unity é suportada, várias ferramentas terão suporte quase nativo para os óculos. Uma nova App Store será lançada, separando apenas as ferramentas compatíveis.

Em termos de segurança, um novo sistema chamado Optic ID faz a leitura da íris do olho do usuário para logar e sincronizar dados — uma informação que é única para cada pessoa, mesmo irmãos gêmeos. Esse sistema só pode ser utilizado somente dentro do headset e ativa tanto compras na Apple Pay quanto na App Store.

Para rodar tanto conteúdo, o headset aguenta até duas horas de uso remoto graças a uma bateria externa, que se conecta ao Vision Pro por um cabo e pode ser colocada no bolso.

Disponibilidade

O Vision Pro será lançado por US$ 3.499 — aproximadamente R$ 17,2 mil em conversão direta de moeda. Ele será vendido primeiro nos Estados Unidos a partir de algum momento ainda não especificado de 2024 e, segundo a Apple, será disponibilizado aos poucos para outros países, sem regiões confirmadas.

0 - 0

Thank You For Your Vote!

Sorry You have Already Voted!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo