A vertical de serviços do grupo Porto (PSSA3) surgiu para complementar o negócio da seguradora. A princípio, era uma forma de justificar os prêmios pagos por clientes que não acionavam o seguro, mas tinham direito a instalações e reparos. Funcionou assim por mais de três décadas. Ao longo desse período, a companhia construiu uma extensa rede com 13 mil prestadores e, só no ano passado, movimentou mais de R$ 5 bilhões em serviços executados. Assim, a operação ganhou vida própria, dando origem à Porto Serviço, com o objetivo de atender também a clientes fora do ecossistema da seguradora.

Leia mais:

No mês passado, a operação divulgou resultados pela primeira vez, junto com os números de sua controladora, relativos ao primeiro trimestre de 2024. No período, a Porto Serviço obteve um total de R$ 612,4 milhões em receitas e lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) de R$ 112,5 milhões. A margem Ebitda ficou em 18,4%.

A vertical, lançada oficialmente em dezembro de 2023, já começou grande por ser resultado da cisão de uma unidade de negócios que ficava dentro do grupo, a Porto Socorro. Em 2022 a Porto começou a se movimentar nesse sentido, fazendo uma joint venture com a CDF, prestadora de serviços de suporte tecnológico e digital. Em agosto do ano passado, adquiriu a Unigás, especializada em instalação e assistência de sistemas de aquecimento e gás.

Mercado bilionário

Desde que passou a operar com uma empresa independente dentro do grupo Porto, a vertical de serviços é comandada por Lene Araújo, executivo que está há três décadas na companhia. “O que oferecemos para os clientes é resistente ao tempo. Seja hoje ou daqui a 40 anos, você vai continuar precisando de um serviço para sua casa ou de mobilidade”, disse ele ao InfoMoney

A nova empresa opera em um mercado fragmentado e bastante amplo, cujo valor estimado pela Porto é de R$ 100 bilhões. No médio e no longo prazo, a vertical de serviços do grupo poderia atender a 10% desse universo. Ou seja, há um mercado endereçável de aproximadamente R$ 10 bilhões. “Desse mercado endereçável, em receitas, a Porto Serviço já tem em torno de R$ 2,3 bilhões”, afirma. 

Lene Araújo, CEO da Porto (Crédito: Divulgação | Fernando Martinho)

Crescimento em mar aberto

Do total do faturamento trimestral, 78,6% (R$ 481,1 milhões) vieram da prestação de serviços para segurados da Porto. Mas a empresa também comemora o fato de mais de 20% das receitas já estarem fora desse ecossistema. Um montante de R$ 128,7 milhões veio do segmento chamado “parceria estratégicas”, como serviços de instalação de eletrodomésticos e equipamentos de clientes das grandes varejistas do país, além de assistência automotiva para clientes de montadoras e locadoras. A Porto Serviço tem esse tipo de parceria com mais de 50 empresas.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

E também presta serviços diretamente ao consumidor final, no modelo B2C. Apesar de ter contribuído com uma cifra de apenas R$ 2,6 milhões para a receita total do período, é uma categoria que vem recebendo atenção especial. A empresa vem intensificando ações para expandir essa linha de negócios, investindo em canais digitais (como o aplicativo Whatsapp) para a contratação dos serviços e a realização de vendas em condomínios residenciais. No site da Porto, é possível contratar serviços avulsos e pacotes de recorrência, como de limpeza e manutenção de ar condicionado e aquecedor a gás. Potenciais operações de M&A também são consideradas para impulsionar o crescimento dessa vertical, de acordo com a empresa. 

“Ao longo do ano devemos ter novidades. Estamos fazendo um mapeamento de empresas, tanto do ponto de vista de aquisição quanto de parcerias”, explica Araújo.

IPO à vista?

Recentemente, a Porto Serviço fez um pedido de registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para uma possível abertura de capital no futuro. Caso a autarquia conceda o registro de categoria A, a empresa fica autorizada a negociar qualquer tipo de valor mobiliário, inclusive ações, em mercados regulamentados. A Porto Saúde fez o mesmo pedido, dando continuidade à reorganização do grupo Porto, iniciada em 2022. 

“Quando você trata cada unidade como um negócio, e não um departamento, traz um patamar de governança e uma dedicação mais exclusiva para cada vertical”, afirma Araújo. A controladora Porto já é listada no Novo Mercado da B3, segmento com os maiores padrões de governança da Bolsa.  

Ainda que deseje impulsionar o negócio fora do escopo de seguros, a Porto Serviço reconhece que os 17 milhões de clientes e os mais de 37 mil corretores sua controladora tendem a ser um apoio e caminho de crescimento para a operação. “O corretor ganha uma comissão por toda venda [de um produto da Porto Serviço] em sua base de clientes. A turma está começando a ficar bastante empolgada”, explica o CEO. 

The post Porto Serviço busca crescimento independente da seguradora em mercado de R$ 100 bi appeared first on InfoMoney.

source

By game

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *